Páginas

13 de fevereiro de 2012

Truque contra mofo no guarda-roupa

Pesquisando  sobre o assunto MOFO descobri o  giz branco, aquele de escola mesmo.
Deve-se fazer umas trouxinhas  com 5 gizes e espalhar por todas gavetas e
repartições do guarda-roupa .
Ah.. e não suja, e nem mancha as roupas  de branco não.

Preste atenção; A QUÍMICA EXPLICA
Quando o  mofo acaba, para onde vai a umidade?
É claro que ela fica presa no giz  que é um material altamente higrosgópico (que atrai umidade).  Então, 
vai chegar um momento em que  o giz ficará saturado de umidade (água)
e não vai mais funcionar, isto  é, não vai mais atrair a umidade.
Qual é a solução?
Coloque o giz num  forninho em temperatura branda para retirar a umidade do giz
e volte a usá-lo como se fosse novo.
Esta é a grande vantagem do giz, 
poder se recuperar.



8 de fevereiro de 2012

VOCÊ É LUZ...


SE OUVIR WANDO É SER BREGA, ENTÃO...FAZER O QUE? PORQUE TENHO UM CD, ADORO FOGO E PAIXÃO E DEUS TE PROTEJA DE MIM...

5 de fevereiro de 2012

PRIMEIRA AULA DE QUÍMICA 2012 – ENSINO MÉDIO – 1º ANO ESCOLA ESTADUAL IMACULADA CONCEIÇÃO DE RIO CASCA


Química é a ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações.

O termo “Química verde” refere-se ao desenvolvimento de processos que reduzem ou eliminam a geração de resíduos tóxicos. a transformação do milho em plástico biodegradável, a produção de solventes atóxicos e a redução de resíduos gerados na manufatura de produtos farmacêuticos populares, como o ibuprofeno (anti-inflamatório e antitérmico).

Matéria tudo aquilo que possui massa e ocupa lugar no espaço. O estudo da Química engloba, portanto, todo o mundo material, inclusive nós mesmos, que somos  constituídos de matéria.
O ar que respiramos é matéria, pois possui massa e ocupa lugar no espaço. Os gases também constituem matéria determinando a massa de botijões de gás utilizados na cozinha. À medida que o gás é utilizado, a massa total do botijão diminui.

Conhecimento químico
O conhecimento químico formal teve início no século XVI, quando foi estabelecida a concepção de ciência moderna.
O domínio do fogo significou um grande avanço tecnológico para a humanidade.
Além da iluminação noturna, do aquecimento e da proteção contra o ataque de animais, o fogo permitiu o cozimento de alimentos, ampliando as possibilidades de consumo de vegetais e carnes. Reconhecer materiais inflamáveis, apagar a chama utilizando água ou areia, verificar transformações nos alimentos ao assá-los ou cozinhá-los constituem conhecimento químico.

Saber empírico: com base em observação, prática, erros e acertos.

A contribuição da Química para a sociedade
Aumento da produção agrícola, o desenvolvimento de medicamentos, a elaboração de novos materiais (mais leves, mais resistentes, biodegradáveis e recicláveis) e a produção de combustíveis menos poluentes.

ALQUIMIA: conjunto de práticas e técnicas conhecidas na Idade Média em que se buscava, por exemplo, a transformação de metais em ouro

Os alquimistas são responsáveis pelo desenvolvimento de inúmeras técnicas de laboratório, entre elas a calcinação, a destilação, a cristalização e o aquecimento em banho de areia e em banho-maria, muitas delas utilizadas nos laboratórios atuais. Eles obtiveram também algumas substâncias, como o ácido sulfúrico e o ácido nítrico, e investigaram algumas de suas propriedades, como a capacidade de dissolver metais.

4 de fevereiro de 2012

PRIMEIRA AULA DE QUÍMICA 2012 – ENSINO MÉDIO – 3º ANO

FONTE:

A Química Orgânica é entendida, hoje, como a parte da Química que estuda os compostos de carbono. O termo “orgânico” foi inicialmente associado a substâncias originadas de organismos animais ou vegetais. Com exceção da água, que constitui aproximadamente 70% (m/m) desses organismos, a quase totalidade dos demais compostos a eles associados contêm átomos de carbono

A Química Orgânica estuda os derivados de petróleo, como as substâncias que compõem a gasolina e o óleo diesel; os biocombustíveis, como o álcool etílico; os ácidos orgânicos, como o ácido acético presente no vinagre; os açúcares, como a sacarose e a glicose; as macromoléculas naturais, como as proteínas, as gorduras, o amido e a celulose; e as macromoléculas artificiais, como o polietileno, o náilon e os poliésteres.

Teoria da Força Vital
Berzelius foi o responsável por difundir no meio científico a Teoria do Vitalismo, segundo a qual os processos nos quais a vida é desencadeada surgiriam a partir dos materiais que estão presentes nos seres vivos e de um conteúdo não material que não poderia ser criado pelo ser humano. Esse conteúdo não material foi chamado de força vital.

A Teoria da Força Vital era um empecilho para o desenvolvimento da Química Orgânica, pois acreditava-se que somente a partir de organismos vivos seria possível extrair substâncias orgânicas.

De acordo com Berzelius, a força vital é inerente à célula viva, e os cientistas não poderiam criá-la em laboratório.