Páginas

29 de outubro de 2011

EXERCÍCIOS POLÍMEROS - 3º ANO

01. A substância fundamental passível de polimerização chama-se:
       a) polímero
       b) epímero
       c) molde
       d) monômero
       e) suporte
  
02. (U. PASSO FUNDO - RS) Os plásticos constituem uma classe de materiais que confere conforto ao homem. Sob o ponto de vista químico, os plásticos e suas unidades constituintes são, respectivamente:
       a) hidrocarbonetos; peptídios;
       b) macromoléculas; ácidos graxos;
       c) polímeros; monômeros;
       d) polímeros; proteínas;
       e) proteínas; aminoácidos.
  
03. (UEL - PR) Náilon e borracha sintética podem ser citados como exemplos de:
       a) hidratos de carbono
       b) proteínas
       c) lipídios
       d) polímeros
       e) enzimas
05. 
       "(...) Plásticos foram descobertos no século passado, mas o primeiro completamente sintético a ser comercializado foi o baquelite, inventado em 1910. (...) Foi em 1922 que o alemão Hermann Staudinger descobriu que substâncias como a borracha eram formadas por cadeias de moléculas, chamadas por  ele de macromoléculas. Estava descoberto o polímero (...)"(Texto extraído do jornal O Estado de S. Paulo)

       Assinale a alternativa que relaciona polímeros que contenham halogênios em sua estrutura:
       a) polietileno e polipropileno
       b) nylon e dácron
       c) baquelite e borracha
       d) PVC e teflon
       e) amido e proteínas
06. (ITA - SP) Nas afirmações abaixo, macromoléculas são relacionadas com o processo conhecido como vulcanização. Assinale a opção que contém a afirmação correta:
a) O elastômero obtido a partir de butadieno-1,3 e estireno (vinilbenzeno) não se presta à vulcanização.
b) A desvulcanização ou reciclagem de pneus se baseia na ação do ácido sulfúrico concentrado, em presença de oxigênio e em temperatura elevada, sobre a borracha vulcanizada.
c) Na vulcanização, os polímeros recebem uma carga de calcário e piche, que os torna resistentes ao calor sem perda de elasticidade.
d) Os polímeros vulcanizados só serão elásticos se a concentração de agente vulcanizante não for excessiva.
e) Do butadieno-1,3 obtém-se um polímero que, enquanto não for vulcanizado, será termofixo.
  
07. O dácron é um(a):
       a) poliálcool
       b) poliamida
       c) poliéter
       d) poliéster
       e) poliolefina

08. O dácron é um polímero obtido pela reação de condensação entre o ácido tereftálico (dicarboxílico) e o:
       a) etano
       b) eteno (etileno)
       c) etanol (álcool etílico)
       d) etanodiol (glicol)
       e) propanodiol (glicerol)
  
09. (AMAN) Considerando os tipos de polímeros abaixo:
       I.   polímero de adição
       II.  polímero de condensação
       III. copolímero de adição
       IV. copolímero de condensação

       Podemos afirmar que o polímero poliacrilonitrilo (orlon) e o náilon são, respectivamente:
       a) ambos do tipo I
       b) II e III
       c) I e IV
        d) II e IV
       e) ambos do tipo III

MORANDO COM A QUÍMICA

O que aconteceria se, por um passe de mágica, a Química deixasse de ser utilizada na construção civil? O homem recuaria no tempo e voltaria a morar em cabanas de madeira ou em simples casas de argila. Luz e água quente, só a propiciada pelo sol ou por uma fogueira. Construção de edifícios, nem pensar. Delícias da vida moderna, como poder ligar o chuveiro, assistir à TV, ouvir uma boa música ou algo tão singelo como abrir uma torneira para lavar as mãos, simplesmente desapareceriam.
Embora você não perceba, a Química é uma companheira constante em sua casa ou apartamento. E está presente em todos os cômodos de sua residência. Olhe para as paredes. Você não a vê, mas com nomes como dióxido de titânio, poli (acetato de vinila), acetato de etila, acrilato de etila e lacas de nitrocelulose, entre muitos outros possíveis, ela está presente na formulação das tintas que revestem e dão aquele colorido repousante na sua casa.
Escondido nas paredes, o poli (cloreto de vinila), mais conhecido por sua sigla, PVC, conduz água e eletricidade para todos os pontos da sua casa com a vantagem de não ser atacado pela umidade, para desespero de encanadores e eletricistas. Aliás, os fios e cabos elétricos também são revestidos com PVC. Resinas fenólicas e o hexametilenotetramina estão na composição das tomadas feitas com baquelite. Resinas termoplásticas como o polietileno, polipropileno e o poliestireno também marcam presença na moldagem de interruptores, das tomadas e dos espelhos que dão aquele bonito acabamento à sua residência.
Há muitos outros produtos químicos utilizados, direta ou indiretamente, na construção civil. Torneiras, registros e maçanetas, por exemplo, só ganharam aquele bonito brilho após passarem por vários tratamentos químicos. Cianetos de sódio e de cobre, com barrilha ou soda cáustica, dentre outros, foram utilizados para proteger o metal contra a corrosão. Depois, sulfato e cloreto de níquel, junto com ácido bórico e aditivos, completaram o tratamento. O ácido crômico e o ácido sulfúrico deram brilho ao metal. E, se a sua torneira, maçaneta ou suportes têm aquele tom acobreado, saiba que ele foi obtido pela ação dos cianetos de cobre, de zinco e de sódio. A Química pode até ter nomes bastante complicados, mas de uma coisa é certa: ela não só está morando com você, como está presente em vários outros produtos e utensílios utilizados na decoração de sua casa e nas atividades do seu dia-a-dia. Mas essa é uma outra história. De toda forma, é sempre bom lembrar que, sem a Química, seria muito mais difícil chegar em casa, após um duro dia de trabalho, e exclamar: "lar, doce lar".

DORMINDO COM A QUIMICA



Uma revigorante noite de sono está mais associada com a Química do que pode imaginar a maioria dos usuários de colchões. Talvez em função do hábito de fechar muito rapidamente os olhos na hora de dormir, muitos não percebam a presença da Química em cada elemento de conforto do seu quarto.
A maciez do colchão, por exemplo, é garantida por uma placa de espuma de poliuretano, revestida por um tecido de poliéster, tingido com corantes dispersos, como, por exemplo, nitroarilamina. O lençol, por sua vez, é fabricado a partir de uma reação de um monoetilenoglicol com dimetiltereftalato ou ácido tereftálico, matérias-primas do poliéster. Mesmo se o lençol fôr 100% algodão, suas fibras são tratadas com hidróxido de sódio para garantir resistência.
Até na intimidade do quarto, a Química está próxima de nós. Felizmente, com o cansaço do fim do dia, não precisamos nos lembrar muito dela. Mas é bom saber que a cama de madeira muito provavelmente foi revestida com laca nitrocelulósica ou poliuretânica, mais conhecida como verniz. Já a cama tubular, toda trabalhada, nada mais é do que um metal fundido, polido com ácidos abrasivos, tratada por agentes fosfatizantes e revestido com tinta à base de epoxi ou poliuretano. Dá até sono.
Mas pode dormir tranqüilo. O rádio-relógio vai despertar na hora, graças ao conjunto de semicondutores soldados com uma liga de estanho e cobre sobre uma placa de uréia-formol, produzia a partir de reações químicas. Com um único choque possível: o barulho alto.
Ao despertar e sair da cama, você pisa no carpete, uma composição de fibras de poliamida, polipropileno e outras resinas. Mas se o chão é de assoalho, polido e brilhante, ele foi tratado contra bactérias e fungos, recebendo uma fina camada de verniz melamina-formol. Para evitar piso direto nessa camada, você prefere usar o chinelo de borracha - feita de acetato de etilvinila ou de policloreto de vinila - e levantar já calçado na química, para mais um dia. Levante tranqüilo. Mesmo sem se lembrar, você estará bem acompanhado.




28 de outubro de 2011

A QUÍMICA EM UM BOLO




Muitas pessoas não percebem, mas a cozinha e um fantástico laboratório químico, um lugar onde ocorrem inúmeros fenômenos químicos e físicos.
Por exemplo, para fazer um simples bolo ocorrem diversas reações químicas, tanto na mistura dos ingredientes tanto na ordem de preparo do bolo, a seguir você verá o porque de tudo ser feito conforme a ordem descrita nas receitas, este exemplo é de um simples bolo.
Na maioria das vezes antes de começar-mos a preparar um bolo precisamos acender o forno, isso se chama pré-aquecimento (+- 15min.) pois ao colocar o bolo no forno é importante que o mesmo já esteja quente , desse modo, o gás carbônico que será obtido pela transformação do fermento não irá escapar da massa antes que ela comece a se solidificar.
As claras em neve é uma espuma usada em vários tipos de bolo, são obitdas batendo as claras dos ovos em uma batedeira ou com um garfo, ela é formada por porque o movimento de bater vai introduzindo ar, que as claras incorporam em grande quantidade (pelo menos 3 vezes o seu volume original).
Normalmente bate-se a gema dos ovos com açúcar e manteiga, mas porque?A resposta é “simples”, quando batemos a gema o açúcar e a manteiga, os cristais de açúcar formam pequenas “bolsas” de ar que ajudam na sustentação inicial da massa.
Agora o ingrediente mais importante em um bolo, o fermento.
Quando adicionado na massa o fermento sofre uma transformação química liberando gás carbônico, por exemplo, a partir da reação entre bicarbonato de sódio e fosfato monoácido (dihidrogenofosfato de cálcio):

8 NaHCO3 +    3 Ca(H2PO4)2 —–>    Ca3(PO4)2 +    4 Na2HPO4 +    8 CO2 +    8 H2O
8 NaHCO3 ——- Bicarbonato de Sódio
Ca(H2PO4)2 —– Dihidrogenofosfato de cálcio
Ca3(PO4)2 ——– Fostato de Cáclio
4 Na2HPO4 —— Monohidrogenofosfato de Sódio
8 CO2 ————— Gás Carbônico
8 H2O ———— Água


É o gás carbônico, CO2, que faz o bolo crescer, tornando a massa leve e macia. Essa reação é favorecida pelo aquecimento, por isso a utilização de ingredientes gelados no preparo da massa pode prejudicar o resultado final.
Você nunca deve abrir o durante o cozimento do bolo porque as bolhas de gás carbônico e de vapor de água que estão dilatadas na massa, devido ao aquecimento, podem se contrair se forem resfriadas bruscamente, fazendo o bolo murchar.




27 de outubro de 2011

Soluções em Química - Matéria do 2º ano

EXERCÍCIOS MARAVILHOSOS DE QUÍMICA

v      Concentração comum (C):  Determina a quantidade de massa de soluto (m1) em gramas por unidade de volume (V) de solução (L).


 01.       Qual a concentração de uma solução contendo 40g de cloreto de sódio dissolvidos em 250 mL de solução? R:160
02.   Uma solução foi preparada adicionando-se 40g de hidróxido de sódio em água suficiente para produzir 200 mL de solução. Calcule a concentração comum dessa solução. R:200
     03.   Calcule a concentração comum de uma solução de nitrato de prata, sabendo que ela encerra 120g do sal em 600 cm3       de solução. R:200
     04.   Determine a massa de ácido nítrico, em gramas, necessária para a preparação de 150 mL de uma solução de   concentração 50g/L. R:7,5g
     05.   (Faap-SP) Calcule a concentração, em g/L, de uma solução aquosa de nitrato de sódio que contêm 30g de sal em      400 mL de solução. R:7,5
     06.   (Mack-SP) Qual a concentração, em g/L, da solução obtida ao se dissolverem 4g de cloreto de sódio em 50 cm3 de      solução? R:80 
07.   São dissolvidos 24g de sacarose em água suficiente para 500mL de solução. Qual é a concentração comum dessa solução? R:48 
08.   Calcule a concentração comum de uma solução que apresenta volume de 800mL e contém 80g de soluto. R:100 
09.   (PUCCamp-SP) Evapora-se totalmente o solvente de 250 mL de uma solução aquosa de cloreto de magnésio de concentração 8,0g/L. Quantos gramas de soluto são obtidos? R:2 
10.   São dissolvidos 200g de cloreto de sódio em água suficiente para 2 litros de solução. qual é a concentração comum dessa solução? R:100 
v      Título ou concentração em massa/massa (T):  Determina a quantidade de massa de soluto (m1) em uma determinada quantidade de massa de solução (m). Não apresenta unidade.
       
11.   Calcular a porcentagem, em massa, de uma solução formada, quando foram utilizados 40g de cloreto de sódio para serem dissolvidos em 60g de água. R: 40% 
12.   Uma solução aquosa de hidróxido de sódio é preparada, misturando-se 20g de soluto com 140g de solvente. Qual a porcentagem, em massa, do soluto na solução? R: 12.5% 
13.   (F.F.O.Diamantina-MG) Quantos gramas de água são necessários, a fim de preparar uma solução a 20% em peso,usando 80g de soluto? R: 320g 
14.   (PUC-Camp-SP) Tem-se um frasco de soro glicosado, a 5% (solução aquosa de 5% em massa de glicose). Para preparar 1 kg desse soro, quantos gramas de glicose devem ser dissolvidos em água? R: 50g
15.   (E.E.Mauá-SP) Uma solução de um dado soluto foi preparada a partir de 160g de água. Se o título da solução é 0,2, calcule  a massa do soluto. R: 40g 

22 de outubro de 2011

NO FUNDO, BEM LÁ NO FUNDO...

“No fundo eu sou de mentira, assim como você. E não é uma identidade que nos tornará real. Falta em você algum brilho, alguma individualidade, algo que te faça especial. Em mim esse brilho sobra e eu saio por aí espalhando, como se fosse bonito se perder em todo mundo só porque meu corpo não é suficiente pra me abrigar. E nós seguimos sendo nada, sendo só rosto marcante e nome fictício, enquanto você não descobre que eu leio sua insegurança e me disponho a curá-la e eu tenho preguiça de dizer.
Vou deixar você procurar em todas o que você só vai achar em mim, mas não vou te esperar. Quando você perceber, será tarde demais. Mas eu deixo você olhar, porque você é lindo calado e eu falo para um plateia inteira. Se algum dia Manequim for objeto de palco, a gente se encontra.”

12 de outubro de 2011

DIA DAS CRIANÇAS

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!!!


Ser Criança
 
Ser criança é achar que o mundo é feito de fantasias, sorrisos e brincadeiras. 
Ser criança é comer algodão doce e se lambuzar. 
Ser criança é acreditar num mundo cor de rosa, cheio de pipocas. 
É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco. 
É se tornar gigante diante de gigantescos pequenos obstáculos. 
Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles. 
É conseguir perdoar muito mais fácil do que brigar. 
Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias. 
Ser criança é estar de mãos dadas com a vida na melhor das intenções. 
É acreditar no momento presente com tudo o que oferece, é aceitar o novo e desejar o máximo. 
Ser criança é chorar sem saber porque. 
Ser criança é estar em constante estágio de aprendizado, é querer buscar e descobrir verdades sem a armadura da dúvida. 
Ser criança é olhar e não ver o perigo. 
Ser criança é ter um riso franco esparramado pelo rosto, mesmo em dia de chuva, é adorar deitar na grama, ver figuras nas nuvens e criar histórias. 
Ser criança é colar o nariz na vidraça e espiar o dia lá fora. 
É gostar de casquinha de sorvete, de bolo de chocolate, de passar a ponta do dedo no merengue. 
Ser criança é acreditar, esperar, confiar. 
E é ter coragem de não ter medo. 
Ser criança é querer ser feliz. 
Ser criança é saber embrulhar desapontamentos e abrir caixinhas de surpresas. 
Ser criança é sorrir e fazer sorrir. 
Ser criança é ter sempre uma pergunta na ponta da língua e querer muito todas as respostas. 
Ser criança é misturar sorvete com televisão, computador com cheiro de flor, passarinho com goma de mascar, lágrimas com sorrisos. 
Ser criança é errar e não assumir o erro. 
Ser criança é habitar no país da fantasia, viver rodeado de personagens imaginários, gostar de quem olha no olho e fala baixo. 
Ser criança é pedir com os olhos. 
Ser criança é gostar de sentar na janela e detestar a hora de ir para a cama. 
Ser criança é cantar fora do tom e dar risadas se alguém corrige. 
Ser criança é ser capaz de perdoar e anestesiar a dor com uma dose de sabedoria genuína e peculiar. 
Ser criança é andar confiante por caminhos difíceis e desconhecidos na ânsia de desvendar mistérios. 
Ser criança é acreditar que tudo é possível. 
Ser criança é gostar da brincadeira, do sonho, do impossível. 
Criança é saber nada e poder tudo. 
Ser criança é detestar relógios e compromissos. 
É ter pouca paciência e muita pressa. 
E ser criança é, também, ser o adulto que nunca esqueceu da criança que foi um dia. 
O adulto que consegue se reencontrar com a criança que ainda vive no seu íntimo e mais precioso território. 
Aquele pedaço que justifica todos os percalços e que dignifica todos os tropeços. 
A ingenuidade restaurada no dia-a-dia e que o transforma em herói ao reler as histórias de sua própria vida, narradas pela criança que o abraça, nas entrelinhas de um tempo que permanece imutável porque sagrado. 
O tempo do princípio, da origem, da própria essência.

12 de outubro - Nossa Senhora Aparecida



No dia 12 de outubro, comemoram-se três datas, embora poucos lembrem-se de

todas elas: Nossa Senhora Aparecida, padroeira oficial do Brasil, o Dia das Crianças e o Descobrimento da América. Nosso feriado nacional, no entanto, deve-se somente à primeira data, e, embora a devoção à santa remonte aos idos do século XVIII, só foi decretado em 1980.
Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida e no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, em Roma.
Segundo estas fontes, em 1717 os pescadores Domingos Martins García, João Alves e Filipe Pedroso pescavam no rio Paraíba, na época chamado de rio Itaguaçu. Ou melhor, tentavam pescar, pois toda vez que jogavam a rede, ela voltava vazia, até que lhes trouxe a imagem de uma santa, sem a cabeça. Jogando a rede uma vez mais, um pouco abaixo do ponto onde haviam pescado a santa, pescaram, desta vez, a cabeça que faltava à imagem e as redes, até então vazias, passaram a voltar ao barco repletas de peixes. Esse é considerado o primeiro milagre da santa. Eles limparam a imagem apanhada no rio e notaram que se tratava da imagem de Nossa Senhora da Conceição, de cor escura.


Durante os próximos 15 anos, a imagem permaneceu com a família de Felipe

Pedroso, um dos pescadores, e passou a ser alvo das orações de toda a comunidade. A devoção cresceu à medida que a fama dos milagres realizados pela santa se espalhava. A família construiu um oratório, que, logo constatou-se, era pequeno para abrigar os fiéis que chegavam em número cada vez maior. Em meados de 1734, o vigário de Guaratinguetá mandou construir uma capela no alto do Morro dos Coqueiros para abrigar a imagem da santa e receber seus fiéis. A imagem passou a ser chamada de Aparecida e deu origem à cidade de mesmo nome.

Em 1834 iniciou-se a construção da igreja que hoje é conhecida como Basílica Velha. Em 06 de novembro de 1888, a princesa Isabel visitou pela segunda vez a basílica e deixou para a santa uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, juntamente com o manto azul. Em 8 de setembro de 1904 foi realizada a solene coroação da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e, em 1930, o papa Pio XI decreta-a padroeira do Brasil, declaração esta reafirmada, em 1931, pelo presidente Getúlio Vargas.


A construção da atual Basílica iniciou-se em 1946, com projeto assinado pelo

Engenheiro Benedito Calixto de Jesus. A inauguração aconteceu em 1967, por ocasião da comemoração do 250.º Aniversário do encontro milagroso da imagem,
ainda com o templo inacabado. O Papa Paulo VI ofertou à santa uma rosa de ouro, símbolo de amor e confiança pelas inúmeras bênçãos e graças por ela concedidas. A partir de 1950 já se pensava na construção de um novo templo mariano devido ao crescente número de romarias. O majestoso templo foi consagrado pelo Papa, após mais de vinte e cinco anos de construção, no dia 4 de julho de 1980, na primeira visita de João Paulo II ao Brasil.



A data comemorativa à Nossa Senhora Aparecida (aniversário do aparecimento

da imagem no Rio) foi fixada pela Santa Sé em 1954, como sendo 12 de outubro, embora as informações sobre tal data sejam controversas. É nesta época do ano que a Basílica registra a presença de uma multidão incontável de fiéis, embora eles marquem presença notável durante todo ano.



A imagem encontrada e até hoje reverenciada é de terracota e mede 40 cm de

altura. A cor original foi certamente afetada pelo tempo em que a imagem esteve mergulhada na água do rio, bem como pela fumaça das velas e dos candeeiros que durante tantos anos foram os símbolos da devoção dos fiéis à santa. Em 1978, após o atentado que a reduziu a quase 200 pedaços, ela foi reconstituída pela artista plástica Maria Helena Chartuni, na época, restauradora do Museu de Arte de São Paulo. Peritos afirmam que ela foi moldada com argila da região, pelo monge beneditino Frei Agostinho de Jesus, embora esta autoria seja de difícil comprovação.



Seja qual for a autoria da imagem ou a história de sua origem, a esta altura ela pouco importa, pois as graças alcançadas por seu intermédio têm trazido esperança e alento a um sem número de pessoas. Se quiser saber mais detalhes sobre a Basílica e sua programação, visite o site www.santuarionacional.com.br, no qual também é possível acender uma vela virtual. E já que a fé, assim como a internet, não conhece fronteiras, eu já acendi a minha, por um mais paz e igualdade no mundo. Acenda a sua e que

Nossa Senhora Aparecida nos ouça e ilumine o mundo, que está precisando tanto de cuidados.


Além da farta pescaria, muitos outros milagres são atribuídos à Nossa Senhora Aparecida. Veja alguns abaixo:


A libertação do escravo Zacarias

O escravo Zacarias havia fugido de uma fazenda no Paraná e acabou sendo
capturado no Vale do Paraíba. Foi caçado e capturado por um famoso capitão
do mato e, ao ser levado de volta, preso por correntes nos pulsos e nos pés,
e como passassem perto da capela da Santa, pediu permissão para rezar diante
da imagem. Rezou com tanta devoção que as correntes milagrosamente se
romperam, deixando-o livre. Diante do ocorrido, seu senhor acabou por
libertá-lo.



O cavaleiro ateu

Um cavaleiro que passava por Aparecida, vendo a fé dos romeiros, zombou
deles e tentou entrar na igreja a cavalo para destruir a imagem da santa. Na
tentativa, as patas do cavalo ficaram presas na escadaria da igreja. Até
hoje pode-se ver a marca de uma das ferraduras em uma pedra, na sala dos
milagres da Basílica Nova.



A cura da menina cega

Uma menina cega, ao aproximar-se, com a mãe, da Basílica, olhou em direção a
ela e, de repente, exclamou "Mãe, como aquela igreja é bonita." Estava
enxergando, perfeitamente curada.




Baseado no artigo de Márcia Busanello

Fonte: site Ao Mestre Com Carinho - www.aomestrecomcarinho.com.br

11 de outubro de 2011

BASTIDORES 3








O LUXO DO LIXO BASTIDORES 2
























O LUXO DO LIXO - BASTIDORES

GOSTARIA DE AGRADECER A TODOS QUE NOS INCENTIVARAM, PROFESSORES, A DIREÇÃO DA ESCOLA, AOS PAIS DOS ALUNOS QUE SABEMOS, MUITOS DELES FICARAM HORAS AJUDANDO NA CONFECÇÃO DAS PEÇAS E AQUELES QUE SIMPLESMENTE NOS OUVIRAM E OPINARAM, ENFIM A TODOS QUE COLABORARAM DE ALGUMA FORMA E PRINCIPALMENTE A TODOS VOCÊS QUE VIERAM NOS PRESTIGIAR.
PARTICULARMENTE AGRADEÇO AOS ALUNOS DOS TERCEIROS ANOS PORQUE TENHO CERTEZA QUE TODOS SE EMPENHARAM E FIZERAM DE UM TRABALHO AVALIATIVO DE SALA DE AULA ESTA MARAVILHOSA EXPOSIÇÃO.